domingo

20 de Novembro – Dia dos Direitos Internacionais das Crianças

Todos os seres humanos deveriam nascer livres e iguais em dignidade e em direitos, no entanto, há crianças que são vítimas de violência e racismo, crianças inocentes que sofrem com a guerra, crianças que não têm acesso a bens essenciais como comida, água, brincar, rir.

De forma a defender os direitos das crianças, a ONU, a 20 de Novembro de 1959, fez a Declaração dos Direitos das Crianças com 10 artigos essenciais que vão desde o direito de ser feliz ao direito da liberdade. Esta lista, se for cumprida em todo o lado, pode fazer com que todas crianças do mundo tenham uma vida digna e feliz.
Vale a pena reflectir e vale a pena desenvolver esforços para ver esta lista ser cumprida, pois as crianças têm direito a crescer com saúde, amor e compreensão, têm direito àprotecção contra qualquer tipo de exploração e crueldade, têm direito àeducação e têm direito essencialmente a serem felizes!
Em Novembro de 1989, trinta anos depois da Declaração dos Direitos das Crianças, as Nações Unidas adoptaram a Convenção sobre os Direitos da Criança. Esta convenção veio reforçar a declaração de 1959 com 4 categorias de direitos considerados fundamentais. Os direitos àsobrevivência, os direitos relativos ao desenvolvimento, os direitos relativos à protecção e os direitos de participação.
Este tratado internacional é um importante instrumento legal devido ao seu carácter universal e também pelo facto de ter sido ratificado pela quase totalidade dos Estados do mundo.

Sem comentários:

Enviar um comentário